domingo, 1 de mayo de 2011

Táva Guasu Avá Guarani Retã - A HISTÓRIA DO ABACAXI E DO ANANÁS

Táva Guasu Avá Guarani Retã

Com o professor Tupã Cabrera - Licenciado em Historia e Guarani.
Tanimbugui roikove jey (Ressuscitado das cinzas - Resucitado de las Cenizas -
Risen from the Ashes - Renaît de ses cendres)
http://www.youtube.com/watch?v=GDSvEeo6Ry4&...
Para entender a História:
Os Tupi, são os potugueses.
Os Guarani, são os espanhóis.
Ñe'ẽngatu ou o Avá Ñe'ẽ, língua oficial de Pindorama (Brasil)
Avá i – Pequeno homem.
Avá - Deus
Ñe'ẽ. - Língua

Os tupi e os guarani (européus) chegaram na terra de Pindorama, famintos, desesperados, doentes,
desgregados, sujos, imundos, assassinos, corruptos, desajustados sociais, piratas da pior especies humanas, canibais, vendedores das próprias almas e vendiam até o próprio diabo na sua mercantilização. O importante era matar, destruir e roubar e se apossar das coisas alheias e falar mal e denegrir e assim, os tupi e os guarani jogaram tamanha violencia e praga contra os Ñe'ẽngatu e pensaram que tinham transformados os povos outóctones em cinzas ou que tinham destruidos Pindorama.
Portanto, chegando os tupi e os guarani nas Terras de Pindorama, foi logo saqueando e violentando e deturpando a palavra do Avá Ñe'e e toda a sua população.
Bom para entender a História do ABACAXI E DO ANANÁS é preciso conhecer a nossa língua Avá Ñe'ẽ ou Ñe'ẽngatu, a língua oficial do Pindorama, que na atualidade pousou a se chamar oficial e extra-oficial e aceita por todas as comunidades autóctones de GUARANI e no Século XXI reconhecida como Cultura e Língua do MERCOSUL: Guarani, Português e Espanhol.
Que maravilha!!!
Bom já falei muito, agora vamos aos fatos e atos.

A História do "ABACAXI" da Língua Guarani, Tupi ou Macro--Jê e a sua importância na formação étnica do Brasil.

Decodificando e desconstruindo a palavra ABACAXI.
Na ortografia Oficial Guarani da Língua do MERCOSUL.
Avá - homem, mulher, gente, pessoa.
Kachi: vagina.
Desconstruindo o abacaxi no seu verdadeiro sentido:
Yvá - fruta,
Katĩ - cheiro
Ananás, uma palavra adaptada na língua portuguesa. Ortografia atual na língua do MERCOSUL - ñanã - planta - uma mesma espécie ou pode ter vários nomes populares ou científicos.
Outro ponto muito importante e que tem causado grande estrago pela falta de entendimento, em querer adaptar o Guarani na ortografia portuguesa, espanhola e francesa. Quero chamar atenção aqui: tupi: ortrografia portuguesa, guarani: ortografia espanhola e mâcro-jê ortografia francesa.

Neste pequeno ensaio da gramática Guarani, a grafia "b" somente é utilizada nesta condição: mba, mbe, mbi, mbo, mbu.

Por fim a Língua Guarani não tem flexão verbal.
Ex.: Eu como
Tu comes
Nós comemos...
Ex.: Che akaru, ha'e okaru, Ore rokaru -
Eu como, ele come, nós comemos, neste caso se levarmos em consideração a língua
portuguesa, temos que conjugar: ore rokarus (nós comemos)
Che aké – eu durmo
Ñande jaké - nos dormimos, assim também neste caso: ñande jakes
Pronomes Pessoais: Pronomes retos - Em Guarani:
Che (Eu)
Nde (Tu)
Ha'e (Ele/ela)
Ñande (nós)
Ore (nós)
Peẽ (vós)
Ha'e Kuera (eles/elas)
Os professores da língua portuguesa e o que não são escrevem: guaranis, é isso tem um som cacofônico em nossos ouvidos.
Fonte:
Vamos analisar o texto a seguir:

A origem do nome "ananás" vem de nana, da língua tupi, "fruta saborosa" - falado pelos nativos que habitavam o litoral do Brasil. Hoje ananás é usado para indicar os frutos selvagens ou que pertence a variedades desconhecidas. As variedades conhecidas são chamadas de abacaxi, vocábulo proveniente de ibac ati (iba= fruto, cati= que exala cheiro) da língua guarani.

Ñande Ru Imbarete! (O Nosso Pai é Forte!)
Tupã
Ñande Ru Rembiguai

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada